APOIOS CULTURAIS
Banco do Brasil
Fundação Cultural de Canoas
Refinaria Alberto Pasqualini
Imobiliária Gallina
ASMC
Estação Gráfica
PATROCÍNIO CULTURAL
Prefeitura Municipal de Canoas
CANOAS  |  PORTO ALEGRE  |  IMAGENS GAUCHESCAS  |  OUTRAS OBRAS
Clique para sub-menu
Clique para sub-menu
Clique para sub-menu
Clique para sub-menu

Retornar
Califórnia/ Ampliação - JPG 30k CALIFÓRNIA
Carreirada : Corrida de cavalos onde participam mais de dois cavaleiros, e na voz de “Bamo”, se fomos abrindo cancha, levantando a polvadeira, fazendo doble e luz. Assim é a diversão campeira da carreirada rústica (califórnia), ancestral das corridas nos prados, deu origem ao turfe.
(Ampliação - JPG 30k)

Doma / Ampliação - JPG 28k

DOMA

Eta bicho xucro e caborteiro, mas o ginete não se acovarda. Com paciência, mango e espora, logo ficará “doce de boca”, tornando-se manso e pronto para ser encilhado e montado.
(Ampliação - JPG 28k)

Aparte/ Ampliação - JPG 28k

APARTE

Uma típica tarefa campeira realizada geralmente por dois cavaleiros com a finalidade de separar uma rês do rebanho para que possa ser vendida ou destinada a outro lugar. Também é comum quando algum animal está doente e precisa receber tratamento, medicação ou banho veterinário.
(Ampliação - JPG 28k)

Charla/ Ampliação - JPG 28k CHARLA
Em volta do fogo de chão, sorvendo amargo chimarrão, tragando o pito ou um gole de pura, a palestra prende a atenção até mesmo do cusco que ouve atento aqueles que confabulam.
(Ampliação - JPG 28k)

Hora do Mate/ Ampliação - JPG 25k

HORA DO MATE

Sacrossanto ritual galponeiro, hoje presente nos diversos ambientes. Mística beberagem charrua. Vários nomes que te dão: mate amargo, chimarrão... És bebida símbolo da hospitalidade da gente deste rincão.
(Ampliação - JPG 25k)

Bolicho de campanha/ Ampliação - JPG 24k

BOLICHO DE CAMPANHA

Na beira da estrada, sortido com os mais variados intens, refúgio de andarilhos, mercado, ponto de encontro e informações. Entre um gole e outro de canha, ajuda a afogar mágoas e acalentar sonhos.
(Ampliação - JPG 24k)

Domingo a tarde/ Ampliação - JPG 28k

DOMINGO A TARDE

Diversão tradicional domingueira, a bocha surgiu na Itália e está incorporada aos nossos passatempos. É um jogo de parceria, quando uma dupla joga a outra fica do lado oposto observando para que as regras não sejam quebradas. Marca ponto aquele que com as bolas grandes mais se aproximarem de uma pequena chamada bolim.
(Ampliação - JPG 28k)

Fandango/ Ampliação - JPG 30k

FANDANGO

Com gaita, violão, pandeiro e colher no interior do galpão a festa corre solta. Hoje quero alegria, música e cantoria. Vim neste baile, minha prenda, só pra te encontrar.
(Ampliação - JPG 30k)

Invernada/ Ampliação - JPG 27k

INVERNADA

Local de boas aguadas e bom pasto, em geral no fundo do rancho. Para lá são destinados os animais que foram apartados, os quais se quer engordar visando a venda ou o consumo.
(Ampliação - JPG 27k)

Legado/ Ampliação - JPG 26k

LEGADO

O piá desde pequeno ouve o xirú, aprendendo a ser valente, leal e companheiro, tornando-se assim um bom campeiro, cultuando as tradições deste pago altivo, herança das gerações anteriores.
(Ampliação - JPG 26k)

Mateando solito no más/ Ampliação - JPG 28k

MATEANDO SOLITO NO MAS

Costume campeiro ao início do dia ou fim de tarde. Serve de reflexão para o gaúcho, que pensa na vida, nas lidas campeiras e no amor da prenda. Mas reza a tradição que no ritual do chimarão, símbolo de hospitalidade, a cuia percorra uma roda de mão em mão, em fraterna comunhão.
(Ampliação - JPG 28k)

Partida/ Ampliação - JPG 22k

PARTIDA

Viajando solito se vai estrada a fora. De seu, apenas o pingo e o pala. Parte talvez em busca de um sonho ou quem sabe... vai ao encontro da prenda amada.
(Ampliação - JPG 22k)

Preparando a bóia/ Ampliação - JPG 26k

PREPARANDO A BÓIA

O gaúcho não se aperta, basta um fogo de chão e uma trempe para pendurar a velha panela de ferro. O cardápio pode ser dos mais variados, mas durante o seu preparo, enquanto o tempo passa, é hora de fumar um palheiro, feito na mão com palha de milho e fumo em rolo, desfiado.
(Ampliação - JPG 26k)

Regresso/ Ampliação - JPG 24k

REGRESSO

Rumo de casa: No volta de uma tropeada, o rumo da casa, a peonada chega alegre pro rancho. É a trilogia pampeana: Gaúcho, cavalo e cusco que retornam a querência.
(Ampliação - JPG 24k)

Segura peão/ Ampliação - JPG 26k

SEGURA PEÃO

A gineteada consiste em montar o cavalo sem encilha, realiza-se em rodeios onde o cavaleiro procura ficar o máximo de tempo sobre o cavalo xucro (indomado). Antes de entrar na pista, monta no cavalo que está imobilizado. Quem acompanha o ginete são os amadrinhadores, que cuidam para que o ginete e o cavalo não vão de encontro ao alambrado e ao público.
(Ampliação - JPG 26k)

Tiro certeiro/ Ampliação - JPG 30k

TIRO CERTEIRO

A bandeira é vermelha, o ponto é positivo, a armada foi perfeita e o tiro certeiro. O gado agora vencido, enfrenta a sua sina, aparte e marcação.
(Ampliação - JPG 30k)

Retornando/ Ampliação - JPG 25k RETORNANDO
Velha carreta de bois, fostes a precursora do progresso, ao passo lento dos bois que por onde brotavam vilas depois. Hoje carreta esquecida, desengonçada e capenga, contigo ninguém se importa, num museu de coisas mortas carregas as últimas cargas, lembranças de que outrora fostes; valioso meio de transporte e mãe do típico arroz de carreteiro.
(Ampliação - JPG 25k)